quarta-feira, 13 de junho de 2012

(Imagem: Karin Rosenthal)




O tempo é na verdade o do retorno.
Pensa como se agora fôssemos argila
E estivéssemos sós e mudos, lado a lado,
Por um momento (se viessem chuvas)
Talvez se misturasse o meu corpo com o teu
E um gosto de terra úmida aproximasse

Brandamente
As nossas bocas.

Que seja assim lembrada a tua ausência:
Como se nunca tivéssemos nascido
Sangue e nervos. Como se nunca tivéssemos
Conhecido a verdade e a beleza do amor.
Pensa como seria se não fôssemos.
E não houvesse o pranto, o ódio, o desencontro.
O tempo é na verdade o do retorno.
Se não for amanhã, será um dia.
O céu azul e limpo, o mar tranquilo
Pássaros e peixes, pássaros e peixes

Mais nada.



Hilda Hilst

5 comentários:

  1. tive que ler bastante sabia...
    estava interessado nestas palavras mas não compreendia...
    lindo mesmo,palavras de estremecer o mundo!

    ResponderExcluir
  2. Profundamente lindo! "Pássaros e peixes, pássaros e peixes. Mais nada."

    ResponderExcluir
  3. Que o tempo seja de facto de retorno, para que o céu azul e limpo, o mar tranquilo, pássaros e peixes...possam fazer parte da nossa vida e mais nada.
    Beijocas
    Graça

    ResponderExcluir
  4. adorei! sigo-te...
    http://dressedcrisis.blogspot.pt/

    ResponderExcluir