domingo, 25 de dezembro de 2011

Viagem

(Imagem: Marcelo Lyrio)





Iremos juntos separados,
as palavras mordidas uma a uma,
taciturnas, cintilantes
- ó meu amor, constelação de bruma,
ombros dos meus braços hesitantes.
Esquecidos, lembrados, repetidos
na boca dos amantes que se beijam
no alto dos navios;
desfeitos ambos, ambos inteiros,
no rasto dos peixes luminosos,
afogados na voz dos marinheiros.




Eugénio de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário