quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Hoje

(Imagem sem dados da autoria)





devo dizer-te, penso em composições,
e mais ainda
mostrar-te, aqui de onde olho
tênues e ao mesmo tempo de uma grandeza
inacessível
seus olhos, de onde vejo,
altura, em langor, casta, turva
e me tens
alvo
me tens inteira por onde passo
pela minha sombra
meus pés, arredores
me tens na calçada
onde há chuva
nas folhas, fissuras,
dentro de um mar, em fúria
nuvens, ímpeto, rochas, ternura
por onde corre as mãos, delgadas,
espalma
dilacera
e depois se faz
minha própria carne
meu próprio ventre
quisera

3 comentários:

  1. Em todos os (lu)g(a)res... quisera!

    ResponderExcluir
  2. por toda parte...que profundo e gostoso de se "ouvir".

    ResponderExcluir
  3. [hoje,

    no instante, um pouco mais de mundo]

    um abraço, Daniella

    Leonardo B.

    ResponderExcluir