sábado, 30 de julho de 2011

(in Temporal)


um dia pensei muito bem
em um caminho sem destino
um paradeiro extinto
nas bordas do pensamento
não haveria nada
além de um plexo solar tinindo
uma amendoeira
debaixo de um céu de espelhos curvados
 -um ad aeternum colidido-
minhas vozes
apenas ecos
velozes
na medida
uma roupa distorcida
que coubesse no meu corpo vivo
e uma que cobrisse
a ganância de um grito

Um comentário: