sábado, 2 de julho de 2011


Falta uma flor
naquele vaso tombado
naquele olhar amontoado
na cabeceira
falta um galho, um palmo
de chão
falta o teto
e o céu estrelado
sacudindo as estrelas
sobre o meu olho cansado
falta um pedaço
um compartimento colado
no espaço
do nada que me consome
falta um grito
seu nome


11/09/2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário