quarta-feira, 29 de junho de 2011

(FOTO: HELENA ALMEIDA)


Deste silêncio
uma palavra sobreviveu
uma palavra violou
os sentidos
e todas as outras foram esquecidas
nas ruas

nas janelas
escondidas
açoitou o peso das sombras

a palavra desmoronou
com ímpeto

na praça central
roubou a boca
e a voz

Um comentário: